Ana Rosa Ano 2

Os 18 meses mais desafiadores da minha vida

No dia 14 de abril a Ana Rosa completou 18 meses. E eu fiquei pensando em tudo o que vivemos nesses últimos 18 meses. (foi tão louco que eu achei que ela tinha completado 18 meses em março, porém essa parte a gente pula). Mas preciso deixar bem claro que não é por causa dela que esses últimos 18 meses foram difíceis. Foi sim durante a gestação e após o nascimento dela que muita coisa mudou, mas ela não foi a responsável por isso.

Ana Rosa é uma bebê-criança maravilhosa. O nascimento dela foi perfeito, amamentação sem nenhum estresse, introdução alimentar suave, sentou-engatinhou-andou dentro de todos os prazos esperados pra idade. Ela não deu trabalho quando precisei voltar ao mercado de trabalho formal, e muito menos após isso. Não fica doente, não dá zica com os dentes (uma febre aqui, outra noite mamando fulltime ali). Ela tá entrando naquela fase maravilhosa em que cada dia aparece uma palavra nova, e a cada hora juntas eu fico mais apaixonada.

Não foi por conta dela que vivenciei os maiores desafios da minha vida nos últimos 18 meses.

O Ben é outra pessoinha incrível. Que diariamente nos ajuda a acreditar em um mundo melhor. Que ajuda, que diverte, que enche a mana de carinho. Menino super responsável. E muito comprometido com o principal objetivo da infância: brincar.

Também não foi por conta dele, ou da dupla de irmãos, que a vida foi desafiadora nos últimos 18 meses.

Teve golpe. Teve impeachment. Teve desesperança com o mundo. Teve semi-desemprego. Teve puerpério. Teve construção da casa própria. Teve vida nômade. Teve dinheiro do mês confiscado pelo banco. Teve volta compulsória à carteira assinada.  Teve abrir mão de várias certezas. Teve despir-me de muito orgulho. Teve recomeço. Teve 12 horas por dia fora de casa. Teve reconstrução.

Mas também teve muito amor.

Então eu lembro que o ano após o puerpério do Ben foi um ano de muita conquista. Muito movimento. Muito trabalho. Me envolvi em diversos projetos. Nasceu o Floripinhas, a Casa Gestar, minha carreira como freelancer. E sempre tinha espaço pra fazer mais, me envolver em uma coisa nova.

Agora eu sinto que o puerpério da Ana Rosa chegou ao fim. Essa noite tomei coragem de explicar pra ela que de noite o mamá dorme. E ele só acorda de manhã. Ela ficou braba, mas aceitou (não sem ressentimento) tomar a água que ofereci a ela. Depois da quinta ou sexta acordada, ela já levantou por conta própria pra tomar a água e voltou a dormir. Mesmo dormindo picado, ainda foi mais fácil do que passar a noite toda amamentando (e trocando de lado a cada 15 minutos “ôto mamá, ôto mamá”). Ela acordou fofíssimamente morrendo de fome, pedindo carninha pra comer!

Findo o puerpério. Sinto que vem aí um novo período de conquistas e movimento. De projetos e esperanças. E por favor, sem golpes.

Espalhe por aí:
Facebook Twitter Email

Comentários do Facebook (ou se preferir, deixe seu comentário ali embaixo)

Comentários

1 thought on “Os 18 meses mais desafiadores da minha vida”

  1. Saudações.
    Minha esposa e eu somos de Teresina-PI. Nosso primogênito tem 1 ano e 9 meses e até o dia 20, mais ou menos, nasce nossa princesa.
    Acabei de conhecer seu blog e acho que vou dar uma percorrida por ele. 🙂
    Deus abençoe sua família!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *