Ano 2

Pequenas doses de fofura cotidiana #Aos22meses

– Qué mamá, qué mamá, qué mamá.
– Não, Ben, vamos tomar café da manhã? A mamãe vai fazer panquecas.
– Não quelo canqueca, buáááááá
Olho as horas, são ainda 6h20, decido dar de mamar. Mama os dois peitos, termina e:
– Deu. Vem, mamãe, canqueca!

***

Depois de um longo e – não tão – tenebroso inverno, o menino finalmente veste uma bermuda pela primeira vez na vida de pessoa falante. Ao notar que a vestimenta não cobre toda a perna, exclama:

– Caiu a péna! Caiu a péna!

***

Num dia de preguiça extrema, o menino acordou antes das 7h e mãe e pai seguiram “dormindo”, esperando para ver quem iria tomar a iniciativa de acordar para acompanhar a cria. Depois de algumas tentativas frustradas de tirar os pais da cama, “ouve-se” o silêncio. Impressionante como o silêncio de uma criança tem mais poder de acordar os pais do que o barulho, não acham? Fui até a sala para conferir, o possível estrago e:

O menino estava sentado à mesa, no seu lugar (cadeira com assento extra), tranquilamente comendo umas uvas que o pai tinha esquecido fora da geladeira na noite anterior.

Já posso ensinar a passar o café?

***

10629785_811907578853936_7300281472261504171_nDescobriu que o armário da cozinha também funciona como um esconderijo. Para ajudá-lo a se esconder melhor, a vovó retirou as panelas e colocou sobre a cama dele no quarto. Agora, toda vez que ele quer brincar de esconde-esconde, primeiro leva todas as panelas, uma por uma, para em cima da cama!

Falta aprender a devolver as panelas pro armário quando termina a brincadeira.

***

Tia Ana deu uma joelhada na cama do Ben. Ele ultimamente anda bem compadecido com o dodói alheio. Na hora que ela bateu e fez barulho e “Ai!”, ele logo sentenciou:

– Bateu, cama?
– Bati Ben – respondeu a tia.

Bastou para que o incidente fosse o assunto da noite. Nos próximos 30 minutos, no trajeto entre a nossa casa e a da Tia Ana, ele repetiu incansavelmente:

– Bateu, Tia Ana, Dodói? Bateu Cama Doói? Tia Ana? Bateu? Dodói? Dodói cama? Bateu? – ad infinitum.

***

A nova agora é mamar um peito, terminar e dizer, com um sotaque bem manezinho (florianopolitano):
– Qué mash!

Mamar o segundo e por fim dizer:
– Deu! (com um sorriso na cara)

***

Fala agora frases completas e super complexas:

– Ben, o que tu fez na escola hoje?
– ahekfnepajrnodofdjg BIGOSH (Brinquei de um monte de coisas com meus AMIGOS)

– Ben, o que teve de fruta na escola hoje?
– ahekfnepajrnodofdjg ANCHA (Comi uma super deliciosa e suculenta LARANJA)

Espalhe por aí:
Facebook Twitter Email

Comentários do Facebook (ou se preferir, deixe seu comentário ali embaixo)

Comentários

1 thought on “Pequenas doses de fofura cotidiana #Aos22meses”

Deixe uma resposta para Marina Matos Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *