Ano 2 Reflexões

Uma nova fase…

Estou animada! Mas o coração está desse tamanhinho, sabe como?

Na próxima quarta-feira volto a trabalhar em tempo integral.
Não foi uma escolha planejada, foi uma escolha-sem-escolha. Depois de nove meses em casa, precisei voltar a ter uma renda fixa. Não poderia ter sido da melhor forma: fui chamada para um trabalho na minha área, e a 1km da nossa casa! Perfeito!

Minha irmã outro dia me perguntou se eu me arrependia de ter saído do meu emprego para ficar em casa com o Ben. Não, eu não me arrependo nem um pouco. Acho que valeu cada conta atrasada, cada preocupação por não saber como seriam nossas finanças no próximo mês. Foi muito bom acompanhar a introdução alimentar, estar perto nas descobertas mais simples, estar disponível mas doencinhas.

Mas agora chegou o momento. Vou mais tranquila, por saber que ele está totalmente adaptado à escola onde ficará das 8h às 17h. Principalmente por confiar nos profissionais que ficarão com ele. E também vou tranquila por saber que muito da criança boa gente que ele é hoje tem influência da escolha feita 10 meses atrás.

Mas o coração está miúdo. De pensar em tantas horas que ele vai passar sem as suas duas principais referências. De achar que ainda não faz sentido a gente por minino no mundo pra sair de casa e trabalhar…

Mas uma coisa me inspira: saber que tem tanta mãezona por aí nesse mundão que trabalha o dia todo e consegue compensar a ausência mas horas vagas. Admiro muito, mas ainda preciso de uma resposta:

Me contem mães trabalhadoras. O que faz valer a pena??

Espalhe por aí:
Facebook Twitter Email

Comentários do Facebook (ou se preferir, deixe seu comentário ali embaixo)

Comentários

11 thoughts on “Uma nova fase…”

  1. Oi De! Quantas angústias uma mãe passa, né! Ainda não senti tanto este peso talvez porque o Mateus fica com a minha mãe, é como se fosse um “vou ali e volto logo…”
    Muito bom encontrar escolinha boa, onde vc possa deixá-lo despreocupada, ainda não encontrei uma aqui por perto… Espero encontrar logo! Tem uma pública perto do meu trabalho que é muito conceituada, mas o ingresso e só a partir dos 2 anos e por sorteio, final do ano vou tentar…
    Realmente o que vale a pena é saber que todo dia vc vai ser recebida com um sorriso MARAVILHOSO quando for buscá-lo, isto não tem preço!!!
    Bjos!!!

    1. Realmente, Amanda! O sorriso maravilhoso do reencontro faz valer o dia.
      Não tem sido tão difícil quanto pensei.
      Obrigada pelo carinho sempre 🙂

  2. Resumindo bem, o que faz valer a pena é dar conta! Dá uma coisa boa se sentir capaz de tocar tudo, de assumir desafios. Mas no meio do caminho tem muita dúvida, muita incerteza, muitos valores a serem pesados. Acho que é assim com qualquer escolha na vida. Boa sorte nessa nova fase! Beijos

    1. É assim com qualquer escolha mesmo… Os momentos que vivi antes de (re)começar foram muito parecidos com os que vivenciei no ano passado, antes de sair. Escolhas, escolhas… essa é só uma das primeiras na vida de mãe.
      Beijos e tamo junto!!

  3. Olá
    Sempre que deixo meu menino na creche parte meu coração, por que queria ficar com ele e compartilhar mais de sua vidinha… Mas todos os dias quando deixo ele, ele nem olha para trás, é dificil tirar um tchau dele. Isso me deixa mais tranquila por que sei que está sendo bem cuidado…
    Ele vai na creche desde os 6meses, hoje tem 17 meses…
    Como você escreveu, as vezes não é uma escolha e sim uma necessidade… O importante é aproveitar os momentos que temos juntos para brincar e mostrar o quanto o amo…
    Boa sorte nessa nova fase…

    1. Oi Andreia, é bem isso. Foco nos momentos em que estamos juntos. Tenho curtido a cada momento!!
      Deixá-lo tranquilo na escola também me dá a segurança para seguir em frente. E isso faz toda a diferença né?
      Beijos e obrigada pelo carinho!!

  4. O que faz valer a pena é, por incrível que pareça, que voltamos pra casa com uma vontade tão grande de ficar com eles que fazemos dessas nossas “horinhas” momentos tão bons que parecem ser mais proveitosos do que os dias inteiros que ficávamos em casa.
    Minha Sara vai pra escola desde os 6 meses e ela é um apego só…chora sempre quando vou embora, mas é só eu esperar um pouquinho que já vejo toda sorridente com as amiguinhas. Esta socialização é muito importante pra eles tb…lembre-se: eles não são nossos! (por mais que eu no fundinho do coração não gosto de dividí-la com ninguém, hehe).
    Boa sorte nessa nova etapa e vc verá quanta coisas boas vc vai conseguir proporcionar com mais este esforço que vc está fazendo.

    1. Rafa, obrigada pelo apoio!
      É bem isso que está me segurando: poder proporcionar mais e melhores coisas para ele.
      Aos pouquinhos nós vamos nos acostumando a essa nova fase.
      Obrigada e beijos!

  5. Queridona, meu abraço apertado de felicidades e desejos de sucesso em sua nova escolha. Abraço apertado mesmo, de peito com peito, sabe como? De sentir o cheiro do cabelo da amiga e desejar a melhor boa sorte no mundo inteiro! Te desejo em dobro!

    Eu trabalho a 3 quarteirões de casa e deixo a Laura na escola de 8h às 17h, só que eu saio às 18h e só a vejo às 19h, pq o trânsito é in-su-por-tá-vel no horário das 18h e eu demoro 1h para chegar na escolinha (2km de casa)….

    Posso dizer que não é fácil ficar sem eles por perto durante o dia e, talvez, hoje eu sinta muito mais a falta dela do que o contrário, já que Laura está muito bem cuidada e ambientada em sua escola, que eu adoro, diga-se de passagem.

    A escolha de trabalhar fora é sempre difícil, seja trabalhar ou não trabalhar. Envolve sempre alguma perda e um tanto de ganhos, qual seja o lado da moeda em que você viva. Hoje eu vejo o lado bom de trabalhar fora, pq não tenho a opção de não trabalhar, mas, te confesso, no dia que eu puder sair do meu trabalho para cuidar da Laura e da Helena, eu o farei com o coração aberto, apesar de amar o meu trabalho.
    Mas isso sou eu, e, ainda mais importante, esta sou eu HOJE. Talvez no dia em que eu puder deixar de trabalhar, eu não o faça.
    =)

    Mãe é tudo igual, quer tudo ao mesmo tempo.

    Muito boa sorte, Deus guarde e guie os passos de vocês. De coração.

    Beijos!!!

    1. Menina do céu! Se tu não estivesse grávida, ia falar pra fazer esse caminho de bike!
      Só de pensar em ficar 1h a mais longe do pequeno só por causa do trânsito já me da um aperto no peito…
      Obrigada pelo abraço, senti ele, de verdade!!
      E preciso dizer de novo: A-MEI Helena. (Bom gosto para nomes de bebês: trabalhamos!)
      Beijos

  6. Denise, eu trabalho o dia todo desde que minha filha tinha 5 meses e meio e hoje ela está com 1 ano e 10 meses. Moro em SP e vc sabe como é o trânsito aqui.
    Não vou negar que tem dias que é muito F… já saí chorando da escolinha várias vezes. Outras tantas vezes fiquei no trânsito feito desesperada para buscá-la a tempo. E mais sei lá quantas vezes tive que me trancar em uma salinha ou banheiro para tirar o leite (enquanto ainda estava amamentando), depois esterilizar tudo, congelar o leite e levar para casa para ela tomar depois.
    Mas sabe o que realmente vale a pena? É vê-la hoje entrar toda independente na escolinha, com a malinha na mão, me dar um beijo e dizer “tchau mamãe”. TODA VEZ eu me emociono. Ela está crescendo, ficando independente e isso me dá muita alegria. Já tem seu mundinho, seus amigos, fala os nomes, se anima para ir para a escola… É toda uma vida que eu não participo. E isso tranquiliza meu coração.

Deixe uma resposta para Tatiana Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *