10º mês 11º mês 12º mês Ano 1 Ben

Duplo twist carpado

Daiane dos Santos ficaria boquiaberta. Diego Hipólito morreria de inveja. Até Nadia Comaneci ficaria abismada. Porque esse foi o maior salto, mais cheio de reviravoltas, mais surpreendente e mais belo de todos. O salto dos 12 meses.

Que começou com 11 meses. Ou talvez até um pouco antes, quando o Ben se recusou a comer. Ele passou a não aceitar que nós déssemos comida de jeito nenhum. Tinha que ser com as próprias mãos e muito, muito pouco.

Nesse nível de pouquisse:

IMG_2739

E era muito frustrante, porque a gente fazia comidinhas deliciosas, selecionava carboidratos e leguminosas e verduras e carnes e preparava um prato com o maior carinho e tudo o que ele fazia era fechar a boca bem fechadinha. E agitar as mãos e virar o rosto de um lado pro outro espalhando na parede e no chão e nas roupas e na cadeira só pra mostrar que não, ele não queria mesmo. E logo ele, que amava comer, que abria um bocão ao menor sinal de uma colherada saindo de um prato à distância. Fomos diminuindo as porções, diminuindo e diminuindo até que chegamos a esse BLW mequetrefe aí de cima.

No auge da minha frustração, eu fiz o que toda mãe consciente, sensata e desesperada faz. Googlei: “param de comer aos 10 meses”. E não é que funcionou? Achei esse texto lindo que me falava que calma, é só uma fase, ele não precisa mais comer tanto quanto antes porque não vai mais crescer na velocidade com que crescia antes. Que no caso do Ben, no mês anterior tinha sido exatamente 1kg. Vamos combinar que se ele continuasse a crescer 1kg por mês, não haveria colo que aguentasse. Espertinho, esse menino, parou de engordar para garantir seu colinho querido por mais tempo.

Ele continuou comendo assim, eu passei a me conformar que essa era uma refeição digna para ele e assim ficamos. Sempre acompanhado de muito leite materno, é claro.

E então as sonecas começaram a ficar um caos. Menino não dormia mais sua sonequinha sagrada da manhã, pois ia para a escola, e lá tudo era interessante demais para se perder tempo dormindo. Só que no final da manhã ele estava caindo pelas tabelas e capotava logo após o almoço. Exatamente no momento em que eu o buscava na escola. Acontece que não sei se com todos os bebês é assim, mas para o Ben, 20 minutos de soneca são suficientes para ele não querer dormir nunca mais até a próxima soneca. O que nos resultava em tardes insones, e um bebê que ficava das 12h até às 19h acordado.

O problema não é não dormir. O problema é que ele nunca tinha recuperado 100% das energias e passava as tardes querendo colo-peito-muita atenção- mamãe não se afaste de mim plmdds – trocar a fralda nem pensar. Resumindo: um chato. Já tinha virado uma piada interna entre mim e o Queridíssimo: ele chegava em casa e eu começava a contar, e ele completava “não dormiu, estava mamando com os olhos quase fechando e saiu engatinhando, bibibi bóbóbó”.

Pelo menos nessa época ele estava comendo um pouco melhor.

A seguir vieram os episódios de febre. Noites febris, dias normais. Um bebê mais “colento”. Falta escola, falta trabalho, noites preocupadas… Foram sete dias de febre sem nenhum outro sintoma, tirando uma coriza chata.

Levei ao posto para registrar o peso e a medida dos 12 meses: cresceu 4 centímetros, perdeu 200 gramas.

Nesse meio-tempo, muitas novidades deliciosas foram surgindo: um bebê que cantarola, que começa a ficar em pé sozinho, que fala papai, que fala mamãe, que dá tchau, que dá beijos para o ar e manda beijos com as mãos, que sobe e desce degraus… até que na véspera do aniversário de 1 ano, ele deu 4 lindos passos!

Sabe aquele momento na apresentação em que a Daiane dos Santos, depois de já ter feito várias coreografias, para em um canto do tablado, respira fundo, e então sai correndo dá um salto, rodopia duas vezes no ar, e então faz o duplo twist carpado e cai em pé (na maioria das vezes. é claro)?

Pois é. Os quatro passinhos representaram o start do duplo twist. A seguir, com uma velocidade impressionante o Ben começou a aprender mais e mais coisas, uma mais fofa do que a outra.

Nessas últimas duas semanas em que ficamos de “férias” na casa da vovó, ele:
– começou a chamar todo mundo de papai (pa-pa-iiiiiiiii), menos a mamãe (que é ma-ma-in e só em situações muito especiais),
– passou a “falar” pelos cotovelos,
– começou a pegar todo e qualquer objeto, colocar na orelha e “conversar” ao telefone (aô, ouo, ta ta),
– passou a dançar para todas as músicas,
– aprendeu a caminhar empurrando objetos com muita desenvoltura (ainda não se aventurou sozinho),
– aprendeu a falar “miau”ao final do atirei o pau no gato (que mais parece BAU),
– e,para a felicidade geral da nação (mamãe, papai e vovôs), passou a comer enlouquecidamente, do tipo que almoça duas vezes! Ah, e não pode ver uma comida, fruta, qualquer coisa que possa ir a boca e ser digerido que faz: hmmmmmm

A febre, ah, depois descobrimos que se tratavam de dois dentes, o 7º e o 8º – porque eles sempre vêm aos pares!

Ufa! A verdade é que desde o princípio eu já estava preparada psicologicamente para um salto violento quando chegassem os 12 meses. O que eu não esperava, ah não esperava mesmo, é que essa fase seria tão deliciosa!

Espalhe por aí:
Facebook Twitter Email

Comentários do Facebook (ou se preferir, deixe seu comentário ali embaixo)

Comentários

5 thoughts on “Duplo twist carpado”

  1. Oi, Denise,

    Acompanho seu blog há muuuuito tempo., acho que desde o início, mas acho que não tinha comentado ainda.

    Assim como a Nana (que também acompanho o blog desde o início), sempre que tenho uma dúvida sobre salto de desenvolvimento, pego meu celular e vejo se estamos em uma dessas fases. O post “sobre picos e saltos” fica aberto permanentemente no meu navegador. kkkkk.
    E, na fase que minha filha está agora, lembrei desse post e vim consultar. Bingo!
    Parece que você estava falando dela. Vai fazer 11 meses semana que vem, mas parece que os treinamentos para o grande salto já começaram.
    Obrigada por compartilhar informação de qualidade!

    Beijos

    1. Oi Renata, eu fico sempre feliz quando acontece isso, ajudar alguém com a informação que publico aqui. Sabe que esse teu comentário me ajudou a ajudar uma amiga minha que está passando pelo mesmo? Mandei o link do post pra ela, e ela ficou mais tranquila.
      Beijos e obrigada por deixar um comentário!

  2. Nossa… esse post acabou de ser minha salvação! To ficando doida que o pimpolho parou de comer e tentando achar onde estou errando…
    Aguardo ansiosa o salto dos próximos dias então!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *