O trabalho, a escolinha, a gripe, a adaptação e o bebê emancipado (não necessariamente nessa ordem)
10º mês Ano 1 Ben

O trabalho, a escolinha, a gripe, a adaptação e o bebê emancipado (não necessariamente nessa ordem)

Essa semana comecei a trabalhar pelas manhãs. A loja precisava de alguém para algumas tarefas específicas, e achamos que seria por bem eu dar essa força nesse momento. Lembram quando eu saí do trabalho e disse que se fosse meio período eu não ligaria? Pois é. Não tenho problema em me separar dele. O que não aceitava era ter que me separar o dia inteiro dele. Agora ficaremos separados durante as manhãs, com a vantagem que se precisar, meu chefe vai ser bonzinho e liberar umas folgas de vez em quando.

Era pra ter sido na semana passada, mas o Ben acordou domingo com uma baita de uma gripe, tadinho. Ele tossia e chorava de dor, a febre não cedia nem com antitérmico, o nariz parecia um chafariz. Aí cancelamos o projeto escolinha por uma semana. Aliás, cancelamos tudo nessa semana, não colocamos o nariz pra fora de casa, a não ser pra ir a casa de uma amiga fazer nebulização. Chegou na quarta-feira, eu implorei pro Queridíssimo para irmos a uma padaria, pelo menos dar ma voltinha fora de casa! No fim de semana ele já estava bem melhor e eu fiquei que nem pinto no lixo com 3 chás de bebês pra ir.

Aí ficamos esperando pra ver qual desculpa ele ia inventar essa semana pra não começar a ir pra aula. Mas não, acordou 100% hoje, e lá fomos.

Aliás, tudo começou umas semanas antes, na busca pela escolinha ideal onde ele pudesse passar as manhãs. E olha, que missão difícil viu? Fico triste de perceber como a televisão tem um papel importante e tão banalizado nessas escolinhas. Não é que eu seja radical, mas eu não vejo vantagem nenhuma de um bebê ser exposto diariamente a uma tela brilhante sem um propósito específico. Não quero deixá-lo na escola para que ele passe as preciosas horas com os olhos vidrados na telinha. Então acabamos optando por uma escola com um quintal bem grande e o uso um pouco mais consciente da TV (mas ela ainda está presente, infelizmente). Olha, esse assunto merecia um post específico pra ele, pois eu poderia ficar horas e páginas falando sobre como imagino a escola ideal para meu filhote.

Eis que hoje acordamos e o Ben não conseguiu elaborar nenhum motivo para cabular a primeira aula. E partimos para a adaptação, 1 hora no primeiro dia. Já passamos por isso, né, então acho que não foi novidade: o Ben fica maravilhosamente bem em qualquer ambiente, mesmo em meio a pessoas desconhecidas, desde que alguém dê atenção a ele. O que significa que voltei para buscá-lo 1 hora depois e por ele ele ficaria a manhã inteira por lá!

Por isso que digo que ele é meu bebê emancipado. Gente, esse menino não precisa de mãe!! Socorro!! Eu fiz um curso na sexta à noite e sábado o dia inteiro (dias 18 e 19), e ele ficou esse tempo inteiro tranquilo aos cuidados do papai e da mãe do meu irmão. Nem mamar quis!! Se isso é ansiedade de separação, não quero saber como vai ser a próxima fase! O que me consola é que à noite ele é meu chicletinho, e só aceita a minha presença quando acorda. (já estou pensando em prorrogar o desmame noturno pra uns 5 anos, quem sabe?)

 

Espalhe por aí:
Facebook Twitter Email

Comentários do Facebook (ou se preferir, deixe seu comentário ali embaixo)

Comentários

8 thoughts on “O trabalho, a escolinha, a gripe, a adaptação e o bebê emancipado (não necessariamente nessa ordem)”

  1. Em São Paulo, felizmente, a tevê está menos presente. Quando fui escolher uma escola para o Arthur em apenas 1 ou 2 vi a tal, nas demais nem sinal da bendita e eu agradeço. Hoje ele está em uma escola que não possui e não fazem uso dela. Em seu lugar, um rádio equipado com cds infantis que foi a arma para uma ótima adaptação para o Arthur.
    Agora, se prepare porque se ele é assim agora, aos dois vai dormir no acampamento da escola enquanto você sofre esperando que alguém te chame: http://www.meumundodemae.blogspot.com.br/2013/10/sobre-o-acampadentro-da-escola.html
    beijos e boa sorte

    1. Aaaaahhh socorro! Não quero um bebê dormindo fora aos 2 anos de idade!!
      Mas eu digo e repito: o Ben vai poder dormir fora, acampar com os amigos, fazer o que quiser depois dosssss 21 anos ahahah
      (mas morri de rir com “não mãe, choveu!”ahahahah)

      Beijos

  2. De., que menininho mais lindinho do mundo, super independente…. imagina se vc não amamentasse, não? Pq amamentar causa uma dependência horrorosa, a criança não vive sem a mãe, não respira sem estar do lado dela e cresce falando mamãe a vida inteira…. se não fosse isso….
    =)

    Beijos grandes!

  3. Oi De!!! Que legal esta nova fase!!! É muito bom mesmo trabalhar só meio período, curto muito isso! Muito bom o fato dele ser sociável e se adaptar bem aos ambientes, Mateus tb é assim!
    Estamos passando por uma virose (segundo os exames), febre desde sábado sem sintomas, todo molinho solicitando colo a todo tempo. Espero que tudo fique bem logo aqui em casa.
    Bjos pra vcs!!!

    1. Aiaiai… melhoras pro Mateus! É horrível vê-los assim, né… meu coração ficou desse tamanhinhosinho.
      Mas olha, dessa vez os dois combinaram?
      Beijos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *