Cinematerna: programa amigo do puerpério
Uncategorized

Cinematerna: programa amigo do puerpério

Um dia, acho que antes de o Ben nascer, vimos uma matéria na tv sobre o Cinematerna. Eu já conhecia, mas para o Queridíssimo era novidade. E sabe o que ele falou? “Mas não dá pra esperar os filhos crescerem para matar a vontade de ir ao cinema??”

É, nota-se que ele não é lá grande fã de cinemas. Aliás, estamos juntos há mais de quatro anos e fomos até hoje a uma única sessão de cinema juntos, lá no início do namoro. E foi um desastre: o filme era ruim, deu vontade de dormir, ele estava claramente desconfortável. Enfim, vimos que ganharíamos muito mais indo a um barzinho, ou até caminhando pelo centrinho do bairro onde morávamos.

Mas eu continuo gostando de cinema, e no tempo em que morei em São Paulo (e namorávamos à distância), matei muito a vontade de ir ao cinema, porque eu gosto. Mas não gosto tanto a ponto de ir sozinha. Por isso, depois que voltei a morar em Florianópolis, casada, fui raríssimas vezes ao cinema. Até que o Ben nasceu e eu me encontrei no Cinematerna! E desde então nunca mais me preocupei em ir ao cinema sozinha!

Pra mim, o Cinematerna é o maior amigo do puerpério. Aquele período em que estamos nos encontrando, tentando nos compreender nessa nova função de mães. Estamos em casa com a cria, nossas amigas em seus projetos pessoais, marido trabalhando, mãe ocupada… o Cinematerna é um alento!

A nossa primeira vez foi quando o Ben tinha 55 dias. Eu aguardei ansiosamente a volta das férias do Cinematerna (não teve sessões em janeiro). No dia, coloquei o colarzinho com pingente “de menino” que só usava em ocasiões especiais. Escolhi com muito carinho a roupa que o Ben usaria. Já a minha, nem lembro qual foi!

O Ben chegou no sling e lá ficou a maior parte do tempo. Durante o filme pediu pra mamar, e tive que caminhar pela última fileira para embalá-lo no sono de novo. Na saída, as meninas de rosa convidaram para o bate-papo em um café do shopping. Ali, pra mim, foi a melhor parte de todo o programa. Tinha várias mães com seus bebês, algumas já se conheciam e eu, que não conhecia ninguém, sentei em uma das mesas e me meti na conversa! O assunto, vocês podem adivinhar qual era, né? Quem não adivinhou, uma dica: não era sobre o filme! Aliás, estou tentando lembrar o filme que assistimos nesse dia, e não consigo!

Nesse dia conhecemos alguns amiguinhos do Ben de Cinematerna que encontramos até hoje nas sessões, como a Catarina (que protagonizou a história da banana com o Ben, que contei no Facebook), e o Davi, que nasceu só 3 dias antes do Ben.

Depois disso, o Cinematerna virou tipo o meu principal compromisso fixo fora de casa. Meu e do Ben, claro! Uma terça-feira sim, uma não, lá estávamos nós no cinema. Era o dia de me arrumar um pouquinho (bem inho) mais, de colocar uma roupinha legal no Ben. Dia de encontrar outras mães, e alguns pais, na mesma situação que eu. Dia de uns golinhos de dignidade no mar de solidão que é o puerpério (oh drama!).

O filme que vai passar é o de menos. Já fui assistir a filmes que eu queria muito ver, mas a maioria foram aqueles que jamais me tirariam de casa para assistir. Filme em 3D, drama da Idade Média, comédia escrachada, animação, filme brasileiro. Tem para todos os gostos e desgostos. A verdade é que ultimamente eu não tenho conseguido nem assistir ao final do filme.

Semana que vem estaremos lá assistindo ao Gente Grande 2 (sendo que o 1 passou esses dias na Tela Quente e eu corri mudar de canal ahahah).

Espalhe por aí:
Facebook Twitter Email

Comentários do Facebook (ou se preferir, deixe seu comentário ali embaixo)

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *