Um primo.
Ano 1 Ben Reflexões

Um primo.

Quando eu era pequena, tinha uma grande frustração de não ter primos da minha idade. Bom, na verdade, tínhamos até um primo da mesma idade, só que não éramos muito próximos. Com cinco anos de diferença, por outro lado, tínhamos uma prima que era aquela que esperávamos chegarem as férias para reencontrar e brincar muito. Mas ela não tinha a nossa idade, eu ia achar mais legal nas férias encontrar uma prima da nossa idade para inventar brincadeiras, dividir os segredos, trocar o presente de natal por um dia, intercambiar roupinhas de boneca, compartilhar roupas e confidências na borda da piscina. Daquelas de quem a gente é melhor amiga no início das férias, e maior inimiga no final delas.

Quer dizer, falando assim, até tínhamos uma espécie de prima. Uma amiga com quem crescemos juntas, que conhecemos desde 1 ano e meio de vida. Nossos pais eram amigos, então nos encontrávamos nos churrascos dos adultos. No primeiro momento, cada uma ficava no seu canto, envergonhada. Depois virávamos melhores amigas e ninguém queria ir embora quando a festa acabava. E nas férias nos encontrávamos, nos amávamos e nos odiávamos. Não foi uma convivência constante, mas fomos sempre presentes uma na vida da outra. No jardim de infância, depois algumas vezes na segunda infância, até o reencontro definitivo na adolescência. A faculdade juntas, o primeiro emprego. E agora, as duas vivenciamos a maternidade pela primeira vez, juntas. A Olívia está para nascer a qualquer momento.

É, e quem precisa de primos quando se tem uma amiga assim para a vida inteira, não é mesmo? (beijos, Syl! Vem Olívia, vem!)

Mas voltando ao tema dos primos, percebeu que eu falei sempre no plural? Pois é. Esse é o mau dos gêmeos. A nossa casa, a nossa infância, o nosso aniversário. As nossas roupas, os nossos amigos, os nossos primos. Nossa vida foi sempre compartilhada. Eu e minha irmã gêmea. Não éramos as melhores amigas, daquelas de trocar confidências, ou de fazer questão de passar as férias juntas (não tínhamos opção). Mas éramos as nossas melhores companhias, éramos o porto seguro uma da outra. E quando eu acordava domingo de manhã ela já estava na sacada do apartamento fazendo a nossa brincadeira do carro mais bonito. E ela sempre já estava ganhando de mim. E quando íamos dormir na casa de algum parente, o sofá era sempre reservado para nós duas. Uma com o pé na cabeça da outra, igual na barriga. E quando a gente mudava de escola era sempre mais fácil encarar os desconhecidos. E o fato de sermos gêmeas sempre foi um quebra-gelo. “Nossa, gêmeas?” “É, bivitelinas” “É, eu sou a nossa mãe e ela é o nosso pai”.

E quem precisa ter primos da mesma idade quando se tem uma irmã da mesma idade, não é mesmo?

Pois eis que no início de dezembro (ou final de novembro) o Ben vai ganhar um primo. Um primo-gêmeo. Filho da minha irmã gêmea. Um primo que vai ter menos de um ano de diferença de idade em relação a ele. E se tudo der certo, eles dois serão quase vizinhos, estudarão na mesma escola, terão quase os mesmos amigos. E eles vão se encontrar não só nos churrascos dos adultos, mas também nos natais e nas férias. Talvez passem o ano inteiro esperando para passar as férias juntos. Talvez se amem nos primeiros dias e estejam trocando farpas no último dia das férias. E talvez eles tenham que dividir um sofá na casa da vó. Talvez eles façam um intercâmbio de carrinhos, de meias ou de piolhos. E quem sabe, por que não, eles troquem confidências na borda da piscina, aprendam um com o outro a pegar jacaré, bolem planos para enrolar os pais e poder dormir mais tarde.

O Ben é um cara muito sortudo, porque vai ter um primo da mesma idade e uma amiga pra vida toda!

Espalhe por aí:
Facebook Twitter Email

Comentários do Facebook (ou se preferir, deixe seu comentário ali embaixo)

Comentários

16 thoughts on “Um primo.”

  1. Ai que lindo! Fiquei emocionada! Se programasse não dava tão certo! Com certeza nossos pimpolhos vão ser primos, amigos e parceiros… sorte a deles! Não vejo a hora de ver eles juntinhos…

  2. Entendo bem essa relação entre primos! Eu, que cresci sozinha em casa, contava as horas para encontrar uma prima querida. Hoje, ela também está grávida, e o bebezinho será uns 10 meses mais novo que o André. O grande problema é que ela mora bem longe… Tem um outro priminho a caminho, e outros já aqui nesse mundão, mas todos bem longe. Por achar que crescer sozinho não vale muito a pena, fico na piração de arrumar logo um irmãozinho pro André. Espero que eles se curtam como primos 🙂

    1. Nesse ponto, ainda bem que o Ben vai ter esse priminho, e muitos outros amigos (incluindo o André, por que não??). Assim essa história de irmãozinho vai ficar adormecida por uns anos!
      Beijos

  3. Que lindo!
    Eu, com duas irmãs em escadinha (de dois em dois anos) e uma penca de primos, sei bem o valor dessa relação. Que infância maravilhosa aguarda esse trio!
    E, olha, acho que a maternidade vem com (mais) esse bônus: potencializa a felicidade em receber os pequenos dos nossos amados, não? A cada notícia dessas, fico num estado de êxtase que só vendo! Parabéns pra gêmea, e sorte dela que vai ter uma assessora de primeira tão pertinho! 😉

  4. Amei o texto. Chorei, é claro.
    Ter amigas como vocês é tudo de bom. Morro de orgulho quando encho a boca pra falar pra outras pessoas que tenho duas amigas desde um ano e meio de idade, e que conservo essas amizades até hoje – e que pretendo conservá-las pra sempre, mesmo que a distância às vezes atrapalhe.
    Fico muito feliz em saber que a Olívia terá a sorte de ter o que eu tive – mesmo que, por ser menina no meio de dois meninos, às vezes ela possa ser deixada um pouco e lado…rs
    Amo vocês, minhas gêmeas preferidas!
    Que venha “nosso” primo, e que venha a Olívia!
    Beijinhos

  5. Parabéns!!! Felicidades pra família de vcs! Adorei ter primas quase da mesma idade e o Mateus tb tem. Já penso em daqui a alguns anos reunir a galerinha e levar para os mais divertidos passeios! Bjos!!!

  6. Oi Dê,
    Nossa, tenho um primo com 3 dias de diferença. Crescemos juntos e ficávamos na casa da nossa avó. Coitada, quebramos a casa toda. Mas até hoje nossas lembranças são fortes (até porque não tem muito tempo assim que fazíamos essa bagunça toda). Apesar que agora eu casei e ele tem a namorada dele, quando nos encontramos ainda podemos compartilhar das nossas vidas. Ganhei de presente de nascimento um amigo para a vida. Tomara que o Ben seja assim com os dois Amigos que estão pra chegar. Desejo tudo que eu e meu primo temos. É muito especial.
    Bjos

    1. QUe lindo! O Ben via ganhar de presente de aniversário um amigo pra toda a vida!! Espero que eles sejam tão amigos quanto tu e o teu primo!
      Beijos

  7. Que lindo post! Adorei seu blog!
    Eu tenho uma irmã bem próxima de idade e fizemos muitas coisas juntas, da infância até a entrada na faculdade. E foi demais!
    Hoje, somos muito amigas.
    beijos
    Lele

  8. Tenho dois primos-irmaos e uma prima nascidos no mesmo ano que eu. Minha infância foi compartilhada com os meninos e a prima foi muito parceira na adolescência. É muito bom!
    Meu filhote vai ter uma priminha 14 meses mais velha. Estou torcendo muito que eles se curtam e já bolando intercâmbios para as intermináveis férias escolares… hehe.

    1. Que coisa boa, primo é tipo um amigo que a distância e as mudanças da vida não separam, né!
      Tomara que teu filhote e sua prima sejam grandes amigos!
      Beijos e obrigada pela visita!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *