4º mês Ano 1 Ben

Alguém me abraça?

****alerta para post grande!!***

Então é isso. Quem segue o blog lá no Facebook acompanhou o meu drama de saber ontem (14/05) que eu terei que voltar ao trabalho amanhã (16/05). Ainda estou colocando as coisas em ordem, e principalmente a cabeça, para que tudo se resolva da melhor forma possível.

Ainda bem que eu tinha feito aquele checklist, e algumas coisas já estavam bem adiantadas. Já tenho uma bomba tira-leite, já estou acostumada a usá-la, já temos o copinho de treinamento, na segunda-feira haviam chegado os 12 potes de vidro com tampas de plástico que comprei aqui, já tínhamos uns 4 ou 5 potinhos de leite congelado, a avó já estava acionada para vir ao final da licença ficar com ele até que completasse seis meses.

O que não tínhamos: testado tudo isso na prática! O Ben ainda chora muito quando fica sozinho com a avó, eu ainda não sabia direito como era descongelar e aquecer o leite, não tínhamos ensinado nem a vovó nem o Ben a usar o copinho…

E agora temos que correr contra o tempo para dar a volta por cima!

Tu podes estar se perguntando: mas como ela deixou isso acontecer?? Pois é, eu também estou me perguntando isso! A verdade é que no ano passado, ainda grávida, tirei as dúvidas com minha colega do RH da empresa, e ela me informou que eu poderia escolher entre tirar 15 dias de atestado ou fazer intervalos de 30 minutos ou uma hora até ele fazer seis meses. Então, na semana passada, faltando uma semana para teoricamente voltar, fui lá pessoalmente e perguntei a ela qual seria o procedimento. Ela me informou que eu deveria levar o atestado médico no dia 16 (e poderia até ser no dia 17). Fiquei tranquila.

Fomos para a cidade do meu marido, onde está tendo um mega evento, e ele seria importante para ajudar seu pai a atender os clientes. Minha sogra também estava na função, preparando jantares e eu a ajudaria. Até que na terça-feira tive a sensatez de ligar para minha chefe e explicar por quê eu estava tirando o atestado: para o Ben conseguir mamar exclusivo até os seis meses, eu tiraria a licença até os 5 meses e meio e depois faríamos um esquema especial por somente 15 dias para ele seguir amamentando. E que agora é que eu iria começar a estocar leite. Ela disse que ok, e que minha colega mais próxima é que ficaria apavorada, pois está ansiosa pela minha volta.

Depois desse telefonema, fomos ajudar minha sogra a preparar o local para os jantares, uma chácara onde não pega celular. Foi só depois das 19h é que saímos de lá e voltamos para casa, pois estava na hora do soninho do Ben. E então, às 19h11, minha colega do RH, a mesma que tinha me dado as informações anteriormente, me liga e me explica que na verdade não é bem assim. Que cabe à empresa aceitar ou não esse atestado, e nossa empresa não aceita (uma empresa que brada aos quatro cantos que faz bem, esquecem de fazer bem aos próprios funcionários. #prontofalei) e que eu deveria retornar no dia 16.

Gelei.

Marido estava lá na chácara alheio a tudo, minha sogra falou: eu vou antes. Ligou para meu sogro, avisou da “novidade” e pediu para ele comunicar o marido quando chegasse lá. Nisso eu fiquei ali, me sentindo sozinha desesperada, ela sem saber o que fazer para me ajudar, entrei num grupo muito legal que participo no Facebook e deixei lá um post desesperado. Na hora choveram respostas, as mulheres foram umas fofas e falaram “calma, vamos resolver juntas!”. Foi muito legal, fui me acalmando. Falei com minha mãe, que também se dispôs a cuidar do Ben, já que minha sogra era realmente importante ficar lá na cidade para apoiar no evento.

Nisso o Ben dormiu, e comecei a esterilizar enlouquecidamente as coisas para tirar leite. Consegui tirar 70 ml só, e congelei. Quando marido chegou em casa, já estava resolvido na cabeça dele: “eu vou ficar com o Ben, e levo ele para mamar em todos os intervalos!

Então resolvamos quinta e sexta-feira. Sábado meus sogros vêm para cá e minha sogra assume os cuidados com o Ben a partir de segunda-feira. Temos o fim de semana para ensiná-lo a mamar no copo de transição, ou num copo normal se for o caso. Já estava atrás de uma mamadeira-colher, se for o caso, compro uma também. Se ele não aprender no fim de semana, tirarei um grande intervalo ao meio-dia para vir em casa amamentar. Hoje coincidentemente ele ficou 5 horas sem mamar, então sabemos que ele fica bem, e se for o caso, me espera chegar em casa para mamar.

Mesmo tendo tudo de certa forma resolvido, passei uma noite horrível. Aliás, passamos, pois o Ben também não dormiu bem, tadinho. E daí, para coroar toda essa situação, hoje pela manhã estávamos dormindinho-mamandinho, e o Ben estava muito agitado, acho que estava com calor. Virei ele para mamar do meu lado direito que era o lado de fora da cama, sempre faço isso, e fico abraçando ele para não ter risco de cair. Mas ele estava muito agitado, tirei a mão e peguei no sono.

Acordei com um som seco: tuff! Olhei para o lado e o Ben não estava. Voei para o chão e lá estava ele, meu pequenininho, de bruços, caído com o rosto no chão. Eu fui muito rápida, ele nem tinha começado a chorar ainda. Mas quando o peguei, caiu num berreiro, dei o peito e ele mamava soluçando. Meu coração ficava pequenininho a cada soluço. Snif. Mas logo ele parou de mamar e abriu um sorrisão! Felizmente foi só um susto!

Mas ainda estou aceitando abraços solidários!

Enfim, amanhã começa a correria. E que nossa senhora dos bebês e das mães trabalhadoras nos guarde, nos governe e nos ilumine amem.

 

 

Espalhe por aí:
Facebook Twitter Email

Comentários do Facebook (ou se preferir, deixe seu comentário ali embaixo)

Comentários

4 thoughts on “Alguém me abraça?”

  1. Nossa, Denise, querida! Que sufocos! Ainda bem que já está tudo se encaminhando. Nessas horas que a gente (ói eu me incluindo) agradece a deus por ser organizada.
    Vou ficar por aqui torcendo para que tudo dê certo. Para que as lágrimas (que certamente vão cair, né amiga?) sequem rápido. Tudo vai ficar bem.
    Quanto à queda do Ben, tadinho… Mas acho que todo bebê já caiu né? Minha mãe conta que antes de seis meses também, eu enfiei o pé na barriga dela e caí do outro lado. Deve fazer parte do desenvolvimento infantil. rsrsrs
    Ainda bem que tá tudo certo. Abraço, abraço, abraço, vários deles, de urso, bem apertados, por quanto tempo vc aguentar!!

    1. Ai Nana nem me fale! oje pensei nisso, ainda bem que meu lado virginiana não me deixou na mão!
      Obrigada pelo abraço virtual, vai dar tudo certo!!
      Beijos

  2. Caramba, Denise, não tinha visto seu post no face ontem, só o de hoje com a queda do Ben. Pra mim foi surpresa total esta notícia de que cabia a empresa aceitar ou não este atestado da amamentação!!! Agora é corrida contra o tempo, vai dar tudo certo!!!
    Agora que eu estou começando a pensar nos potes, a minha sorte é que além de voltar com 6 meses, vou esticar uns 10 dias de férias e como trabalho meio expediente, 13:30h no máximo já estou em casa.
    Vou continuar acompanhando a sua volta e aprender com a sua experiência nesta nova fase.
    Desejo tudo de bom a vocês!!!
    Bjos!!!

    1. Oi Amanda, eu sabia que cabia à empresa, só não imaginava que minha empresa teria essa capacidade! To muito puta!

      Bom, que pelo menos sirva para ajudar outras mães na mesma situação!

      Beijos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *